O Discurso do Método nº 2 – Edição completa

Manual de como envenenar a tinta de uma caneta

Por Alberto Sartorelli Como fazer uma bela poesia Quando não se fala de nada? O silêncio é o soberano das respostas, Da palavra na garganta estagnada. Cheio de aforismos, o texto continua, Flui como água na corrente exaltada. Não para, não recua, O escrito é mais mortífero que a espada. Não falo do método dos … Continue lendo

Somos todos Pussy Riot!

Por André Paes Leme “No verão, confinamento intolerável, no inverno, frio insuportável. Todos os pisos estavam podres. A sujeira no chão tinha uma polegada de espessura; alguém poderia tropeçar e cair… Éramos empilhados como anéis de um barril… Nem sequer havia lugar para caminhar… Era impossível não se comportar como suínos, desde o amanhecer até … Continue lendo

O fogo da vida – Richard Rorty

Tradução por Igor de C. e S.C. (Publicado originalmente em Poetry Foundation, o pequeno ensaio foi o último publicado durante a vida do filósofo norte americano Richard Rorty (1931 – 2007).) Em um ensaio chamado “Pragmatismo e Romantismo” tentei revalidar o argumento de “Defesa da Poesia”, de Shelley. No coração do romantismo, eu disse, estava a tese de que … Continue lendo

Os retratos de Salinas

Por Michel Amary Escrever uma biografia é como pintar um retrato! As cores são as palavras que se interpõem ao desafio da página em branco:  apresentar uma imagem de nosso personagem. O retrato não inventa história, não cria ficção, por mais absurda que a  história que se conte seja, mas faz das faculdades da imaginação um dos grandes instrumentos do retratista … Continue lendo

Erasmo Marmieládov

Por Caio Mello “Finalmente, a civilidade emancipada, puramente individual, converte-se em mentira. O que ela atinge no indivíduo é aquilo que ela oportunamente silencia, o poder real ou ainda mais o poder potencial que cada qual encarna.” Minima Moralia, Adorno “Compreende, será que compreende, meu caro senhor, o que significa não se ter mais para onde … Continue lendo

O legado de Sokal: dezesseis anos depois do affair

Por Igor de C. e S.C. “¡Todo es igual! ¡Nada es mejor! ¡Lo mismo un burro que un gran profesor!” (Cambalache, Enrique Santos Discepolo) “Now heaven knows, anything goes” (Anything Goes, Cole Porter) Dezesseis anos se passaram desde a publicação do escrito irônico dos físicos Alan Sokal e Jean Bricmont. A história é simples: incomodados com o … Continue lendo

Em volta, carne morta

Por Gabriel Philipson No primeiro ano de um estudante de medicina, o calouro entra em contato com as famosas geladeiras com pedaços de gente morta, podres, conservadas. É memorável e inesquecível a primeira aula em que o freezer é aberto e, ao invés de cerveja, o sujeito se depara com nada mais nada menos do que carne de gente morta. … Continue lendo

Filosofia oriental: por que não?

Por Lucas Nascimento Machado Lembro-me quando, no ano de 2006, ao ingressar na filosofia, durante uma daquelas aulas introdutórias, em que três professores se uniam para responder as perguntas dos alunos sobre o curso, uma aluna levantou uma pergunta curiosa: por que não havia, na grade curricular, cursos sobre a filosofia oriental? Não lembro, exatamente, a resposta do professor; lembro, contudo, … Continue lendo

Eu me importo com esse debate: espaço estudantil, espaço comunitário

Por André Scholz É natural, em tempos sem graça, idealizar o passado. Essa atitude, muitas vezes conservadora, pode ser um pouco indelicada em alguns casos. Por exemplo, quando a homenagem aos heróis do passado é feita de maneira a justificar certas ações do presente; visando equiparar-se ao sacrifício deles, tenta-se justificar as suas próprias ações. A memória anda em debate na esfera … Continue lendo