Helena e Páris

Por Alberto Sartorelli   Helena é bonita elegante e altiva culta, ébria poderosa rainha na sua Grécia. Helena é princesa sacerdotisa de Dioniso gosta de vinho e fumantes filmes interessantes é dada ao riso.   Setembro/outubro de 2013 Anúncios

Correspondências – Charles Baudelaire

Tradução por Alberto Sartorelli A natureza é um templo onde vivos pilares Deixam às vezes fora confusos vocábulos; O homem passa através de bosques de símbolos Que ali o observam com olhares familiares. Como longos ecos que longe se confundem Em uma tenebrosa e profunda unidade, Que é vasta como a noite e como a … Continue lendo

Pós-ideologia e cinema

Por Alberto Sartorelli Para a arte revolucionária, não há indiferença em questão de cinema: o filme sempre tem um motivo, pode ser a perpetuação da ordem vigente ou a transformação social; neste caso, qualquer tentativa de neutralidade ideológica é conservadora. No entanto, a velha dicotomia direita versus esquerda, no capitalismo tardio, ganha novos elementos e tem … Continue lendo

emanação

Por Alberto Sartorelli Então sai de mim a luz idealista a que emana, de dentro para fora pois aquela ideia do homem que em outrora digo que era em si, e agora rabisca. Do rabisco do homem que é para si vejo a conscientização de mim mesmo sóbrio na realidade, logo vi o meu eu, … Continue lendo

Impressões sobre “O tempo”, de Henrique Bernardelli

Por Alberto Sartorelli “O Tempo” é um quadro de Henrique Bernardelli, datado de 1925, exposto na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Nele, são misturados elementos pagãos e cristãos. A obra apresenta seis personagens. A presente análise visa elucidar minhas impressões sobre o significado do quadro, sobre como a questão do tempo influencia diretamente a acepção da obra, que toma uma … Continue lendo

Manual de como envenenar a tinta de uma caneta

Por Alberto Sartorelli Como fazer uma bela poesia Quando não se fala de nada? O silêncio é o soberano das respostas, Da palavra na garganta estagnada. Cheio de aforismos, o texto continua, Flui como água na corrente exaltada. Não para, não recua, O escrito é mais mortífero que a espada. Não falo do método dos … Continue lendo