Por que protestar contra a Copa do Mundo de 2014?

Por Dimitrius Sacute Valentim   Todos sabemos que vai ter Copa. Ela está marcada para começar no dia 12 de junho de 2014, quase um ano depois do dia em que a repressão da Polícia Militar de São Paulo a um ato chamado pelo Movimento Passe Livre pela revogação do aumento das tarifas desencadeou a … Continue lendo

Paródia

Por Dimitrios Valentim Ao som e ao tom de ‘a flor e o espinho’, de Nelson Cavaquinho, vamos animar a greve cantando a nossa pauta: Tire esse estatuto do caminho Só se for diretas, só se for! Eu já aturei o João Grandino E eu não quero outro reitor É para ter gestão das três categorias … Continue lendo

Por que o black bloc é como é?

Por Orlando Pimentel Poucos leitores talvez tenham presenciado ou participado de uma passeata ou manifestação, revindicando uma pauta de interesse público. No nosso país e no mundo, manifestações ocorrem diariamente se opondo as opressões sofridas, de diversas formas, cujos alvos são trabalhadores, campesinos, jovens, negros, homosexuais, enfim, pessoas submetidas as estruturas densas de poder econômico-político que … Continue lendo

Greve e Ocupação: Métodos de Luta do ME

Por Caio Sório Na quarta-feira 02 de outubro, um dia após a ocupação da reitoria e da deliberação de greve na assembleia geral , xs estudantes de Filosofia decidiram por se incorporar a esse movimento e paralisaram as suas aulas também. A partir disso, foi reacendido o velho debate acerca dessas duas metodologias de luta. … Continue lendo

Recordar para não repetir: o regimento disciplinar da USP

Por Maria Rita Morita Vinculada enquanto instituição civil ao governo militar da ditadura brasileira, a USP não se destaca somente por ser uma das maiores comunidades acadêmicas e um centro de pesquisas valorizado por seu selo de melhor universidade da América Latina. Como Universidade pública do Estado de São Paulo, teve seus órgãos administrativos diretamente ligados ao regime de … Continue lendo

A autonomia universitária e a estrutura de poder na USP

Por Monica Marques Desde que iniciaram os protestos e a ocupação da reitoria pela democratização da Universidade de São Paulo diversos discursos insistiram que não poderia haver nada mais despótico e autoritário do que a democratização dessa universidade com a participação dos três setores que a compõem. Os argumentos são variados: desde a impossibilidade dos … Continue lendo